the þit (pronuncia-se the thit): é um sistema autossuficiente que produz recursos naturais e financeiros para usos comuns.


the þit (pronounced the thit) is a self-sufficient system that produces natural and financial resources for common use.

Este projeto foi desenvolvido em uma parceria entre Maíra das Neves e Pedro Victor Brandão, no laboratório Archipel In√est, com curadoria do KUNSTrePUBLIK e organizado por Urbane Künste Ruhr.

The project was developed in a partnership between Maíra das Neves and Pedro Victor Brandão, in the framework of Archipel In√est, curated by KUNSTrePUBLIK, and organized by Urbane Künste Ruhr.

Depois de uma pesquisa em setembro de 2013, nós implementamos o modelo entre abril a agosto de 2014 num espaço privado localizado no centro da cidade de Oer-Erkenshwick, na região do Vale do Ruhr, Alemanha. O espaço ocupado tinha uma área de 1200 m² com apenas um trailer antigo cercado de uma área verde.

After a research in September 2013, we implemented the model from April to August 2014 in a private space located in the city-center of Oer-Erkenschwick, in the Ruhrgebiet, NRW. The occupied lot had a 1200m² area with only an old caravan surrounded by a green field.




Nós instalamos uma placa indicando que aquele espaço havia se tornado uma reserva particular do patrimônio natural – um conceito legal brasileiro de incentivo a proprietários que transformam suas propriedades em parques para uso público.


We installed a sign indicating that the space had become a private reserve of natural heritage – a Brazilian legal concept from where proprietors are encouraged to turn their lands into public parks.

pit: de mining pit, poço de mineração, a antiga atividade principal de produção de riqueza da região do Ruhr.
bit: de bitcoin, a primeira moeda corrente digital de código aberto e peer-to-peer

pit: from mining pit, the former major wealth production activity in the region of Ruhr.
bit: from bitcoin, the first digital open-source and peer-to-peer currency: a cryptocurrency.

þit = pit + bit

Misturando as letras “p” e “b”, nós combinamos esses conceitos, inspirados por Decio Pignatari. No entanto, esta mistura traz à tona um caractere de antigas línguas europeias: a letra Thorn or þorn (Þ, þ). Este caractere tem origem na runa þ, e representa o gigante do caos e do raio, Thurisaz.

Mixing the letters “p” and “b”, we combined these concepts, inspired by Brazilian poet Décio Pignatari. However, the outcome of this mixing brings to surface a letter from some old Nordic languages: Thorn or þorn (Þ, þ). This character comes from the rune þ, and it represents Thurisaz, the monstrous creature of chaos and lightening bolts.



















Enquanto evocávamos o gigante, instalamos minas de criptomoedas no furgão e geramos um fundo. Com ele, apoiamos as atividades realizadas neste parque transitório. Entre abril e agosto foram realizados cinco eventos abertos no espaço. Ao final desse período, uma das minas veio para o Brasil. Hoje ela mora em uma coleção particular onde segue alimentando um fundo de especulação futura e consumindo energia. As outras duas minas foram entregues a iniciativas locais de interesse comum (Chaostreff e Open Tech School, ambas em Dortmund), selecionadas através de uma votação online, a partir de uma chamada aberta.

In the same time we were evoking the giant, we installed crypto-currency mines inside the caravan and generated a fund that supported the activities in this transitory park. Between April and August 2014, five open events were took place at the space. After that time, one of the mines came to Brazil. Today it lives in a private collection, where it consumes energy and feeds a future speculation fund. The other two mines were handled to local initiatives of common interest (Chaostreff and Open Tech School, both in Dortmund), that were selected through voting on an online open call.